Roupas limpas em Bangladesh

Desde o colapso do edifício da fábrica Rana Plaza em 2013, a indústria têxtil de Bangladesh tem sido objeto de um exame minucioso. Entre as questões controversas associadas à produção de roupas está o uso de produtos químicos. Isso representa um risco à saúde dos funcionários, em particular, mas também do meio ambiente e dos clientes. Os produtos químicos, que são principalmente necessários para tingir, imprimir e finalizar os têxteis, contaminam as grandes quantidades de água utilizada. Essas águas residuais são freqüentemente liberadas sem tratamento em corpos d’água e, portanto, encontram seu caminho no meio ambiente.

Em 2014, a Lidl reforçou os padrões de gestão ambiental sustentável em fábricas têxteis da China e Bangladesh que abastecem a empresa. Em 2017, a Câmara de Comércio Internacional da Alemanha (GIZ) GmbH lançou o projeto PURE em nome da Lidl, com o objetivo de treinar fornecedores na Ásia em eficiência ambiental e de recursos. O PURE se concentrou em três áreas principais: manuseio responsável de produtos químicos, uso eficiente de energia e melhor gerenciamento de águas residuais. Além de melhorar a proteção ambiental, isso também ajuda a garantir que os funcionários tenham locais de trabalho mais seguros e limpos.

Desde o final de 2018, após 18 meses de apoio da GIZ, as fábricas participantes conseguiram implementar e melhorar ainda mais sua gestão ambiental. As economias potenciais são enormes: graças às medidas adotadas, até 5,8 milhões de litros de água e cerca de 222.000 toneladas de CO2 podem ser economizadas. No entanto, mudanças duradouras também exigem investimentos pelos proprietários da fábrica, que só podem ser recuperados a longo prazo. Os consultores da GIZ, portanto, realizaram oficinas para ajudar a convencer os gerentes de fábrica céticos. Os principais convidados das oficinas eram gerentes que já haviam feito a troca. Suas histórias de sucesso demonstraram os benefícios dos novos padrões.

Fonte: https://www.giz.de/en/mediacenter/76514.html Since the collapse of the Rana Plaza factory building in 2013, Bangladesh’s textile industry has been under particular scrutiny. Among the controversial issues associated with the production of clothing is the use of chemicals. This poses a health risk to employees, in particular, but also to the environment and to customers. The chemicals, which are primarily needed in order to dye, print and finish textiles, contaminate the large quantities of water used. This wastewater is often released untreated into the surface water and thus finds its way into the environment.

In 2014, Lidl tightened standards for sustainable environmental management in textile factories in China and Bangladesh that supply the company. In 2017, the Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH launched the PURE project on behalf of Lidl, with the aim of training suppliers in Asia in environmental and resource efficiency. PURE focussed on three main areas: the responsible handling of chemicals, efficient use of energy and improved wastewater management. In addition to improving environmental protection, this also helps to ensure that employees have safer and cleaner workplaces.

Since the end of 2018, after 18 months of support from GIZ, the participating factories have been able to implement and further improve their environmental management. The potential savings are huge: thanks to the measures taken, up to 5.8 million litres of water and around 222,000 tonnes of CO2 could be saved. However, lasting changes also require investments to be made by the factory owners, which can only be recouped in the long term. GIZ advisors therefore held workshops to help convince sceptical factory managers. The key guests at the workshops were managers who had already made the switch. Their success stories demonstrated the benefits of the new standards.

 

Source: https://www.giz.de/en/mediacenter/76514.html

 

Voltar para o blog

Assine a nossa newsletter

Somos pioneiros em Gestão Climática e geração de créditos de carbono com impacto positivo.