Quais são os riscos de entrar em contato com as manchas de óleo no Nordeste?

Pesquisadores de diversas universidades estão analisando os impactos visíveis e invisíveis do óleo sobre o meio ambiente e sobre a saúde pública no litoral do Nordeste. A Fundação Oswaldo Cruz de Pernambuco (Fiocruz-PE) emitiu uma carta aberta alertando solicitando que seja decretada situação de emergência nos estados e municípios afetados.

O pesquisador Mauro de Melo Júnior, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), relata que tem encontrado óleo em organismos planctônicos, como copépodes e larvas de caranguejo, no litoral do município de Tamandaré, litoral sul do estado de Pernambuco. “Vários indivíduos desses grupos e de outros estão aparecendo nas amostras com manchas escuras, similares a óleo. Estamos juntando vários desses organismos para confirmação em equipamentos apropriados, em parceria com outros pesquisadores da UFRPE e UFPE. Nas amostras de Tamandaré, temos encontrado em torno de 20 a 30% dos indivíduos com manchas. Mas é ainda um resultado preliminar”.

Mauro de Melo explica que há o risco de as substâncias contaminantes do óleo serem absorvidas e concentradas pela cadeia alimentar, num processo denominado bioacumulação. “Como alguns desses animais estão com manchas de óleo no corpo, somado à fragmentação do óleo em partículas menores, vários animais de maior porte, como peixes, crustáceos, moluscos bivalves, corais e esponjas podem filtrar tais partículas sem selecionar os indivíduos com óleo (ou os próprios fragmentos de óleo). Neste caso, eles podem acumular e as consequências disso para a nossa saúde e para a saúde dos demais animais são imprecisas”.

 

Fonte: https://www.oeco.org.br/noticias/quais-sao-os-riscos-de-entrar-em-contato-com-as-manchas-de-oleo-no-nordeste/ Researchers at various universities are analyzing the visible and invisible impacts of oil on the environment and public health on the northeast coast. The Oswaldo Cruz Foundation of Pernambuco (Fiocruz-PE) issued an open letter warning that an emergency should be decreed in the affected states and municipalities.

Researcher Mauro de Melo Júnior, from the Federal Rural University of Pernambuco (UFRPE), reports that he has found oil in planktonic organisms, such as copepods and crab larvae, on the coast of Tamandaré, southern coast of the state of Pernambuco. “Several individuals from these groups and others are appearing in samples with dark, oil-like stains. We are joining several of these bodies for confirmation on appropriate equipment, in partnership with other researchers from UFRPE and UFPE. In the samples of Tamandaré, we have found around 20 to 30% of individuals with spots. But it is still a preliminary result.”

Mauro de Melo explains that there is a risk that oil contaminants will be absorbed and concentrated in the food chain, in a process called bioaccumulation. “Because some of these animals have oil stains on their bodies, added to the fragmentation of oil into smaller particles, many larger animals such as fish, crustaceans, bivalve mollusks, corals and sponges can filter such particles without selecting individuals with oil ( or the oil fragments themselves). In this case they can accumulate and the consequences for our health and the health of other animals are inaccurate.”

Source: https://www.oeco.org.br/noticias/quais-sao-os-riscos-de-entrar-em-contato-com-as-manchas-de-oleo-no-nordeste/

Voltar para o blog

Assine a nossa newsletter

Somos pioneiros em Gestão Climática e geração de créditos de carbono com impacto positivo.