Produção Química Mundial irá dobrar até 2030

A catástrofe climática aumenta.

Em uma nova reviravolta que não deve surpreender muitos, uma das metas de redução de impactos ambientais com certeza terá que ter seu prazo estendido.

Trata-se da produção química. A mais recente previsão, montada pelo departamento ambiental da ONU, afirma que as nações do mundo não só irão falhar em alcançar a meta mundial de redução de resíduos e desperdícios químicos até 2020, como também a produção desses dejetos irá dobrar até 2030.

A indústria química global chegou a valer mais de U$ 5 trilhões em 2017. A previsão e análise foi apresentada na quarta Assembleia Ambiental da ONU em Nairóbi, Etiópia. Atualmente a indústria consegue produzir 2.3 bilhões de toneladas de materiais químicos.

O relatório afirma que por mais que diversas medidas foram implementadas para reduzir o impacto da indústria química, estas se demonstraram medianas e esporádicas. Por causa disso, a indústria (que fornece matéria-prima para diversas áreas, desde farmacêuticos até agrotóxicos) continuará produzindo enormes quantidades de poluição.

O setor tem uma previsão de crescimento de 6.2% ao ano, entre 2018 e 2023. O crescimento de potências mundiais asiáticas emergentes (principalmente a China) também influenciará o aumento, sendo que a previsão é de que até 2030 mais de dois terços das vendas globais de produção e consumo de materiais químicos acontecerá nessa região.

Em 2016 a OMS estimou que os dejetos da indústria química foi a causa de adoecimento de, no mínimo, 1,6 milhões de pessoas.

Entretanto, não se trata de um problema sem soluções. O relatório da ONU em questão, chamado de Global Chemicals Outlook, afirma que soluções já estão sendo encaminhadas por diversas entidades.

Industriais e empreendedores do setor já estão implementando modelos de negócio sustentáveis. Além disso consumidores estão cada vez mais engajados com impactos ambientais, governos estão realizando medidas preventivas e universidades no mundo todo estão alterando seu sistema de ensino da área para que os alunos pratiquem química sustentável.

Leia a matéria original: https://www.unenvironment.org/news-and-stories/press-release/un-report-urgent-action-needed-tackle-chemical-pollution-global

Leia o relatório: https://wedocs.unep.org/bitstream/handle/20.500.11822/27651/GCOII_synth.pdf?sequence=1&isAllowed=y

 

The Climate Catastrophe continues.

In a new twist that should not surprise many, one of the goals of reducing environmental impacts will surely have to see an increase on its deadline.

The goal in question is the reduction of industrial chemical production. The most recent forecast, set up by the UN environmental department, states that the nations of the world will not only fail to achieve the global goal of reducing waste and chemical waste by 2020, but also the production of such waste will double by 2030.

The global chemical industry was worth more than $ 5 trillion in 2017. The forecast and analysis was presented at the UN’s fourth UN Environmental Assembly in Nairobi, Ethiopia. Currently the industry is able to produce 2.3 billion tons of chemical materials.

The report states that although several measures have been implemented to reduce the impact of the chemical industry, they have proven to be ineffective and sporadic. Because of this, the industry (which supplies raw materials for many areas, from pharmaceuticals to pesticides) will continue to produce huge amounts of pollution.

The growth of emerging Asian world powers (mainly China) will also influence the increase, with a forecast that by 2030 more than two-thirds of sales production and consumption of chemical materials will take place in this region.

In 2016 the WHO estimated that the waste from the chemical industry was the cause of illness for at least 1.6 million people.
However, this is not an unsolvable problem. The UN report in question, called Global Chemicals Outlook, states that solutions are already being addressed by various entities.

Industry and entrepreneurs in the sector are already implementing sustainable business models. In addition, consumers are increasingly engaged with environmental impacts, governments are taking preventive measures, and universities around the world are shifting their education system in the area for students to engage in sustainable chemistry.


Read the original story: https://www.unenvironment.org/news-and-stories/press-release/un-report-urgent-action-needed-tackle-chemical-pollution-global

Read the report: https://wedocs.unep.org/bitstream/handle/20.500.11822/27651/GCOII_synth.pdf?sequence=1&isAllowed 

Voltar para o blog

Assine a nossa newsletter

Somos pioneiros em Gestão Climática e geração de créditos de carbono com impacto positivo.