Medição global de CO2 atinge recorde em meio a pandemia. O devemos aprender com isso?

As demonstrações de vida advindas da natureza em tempos de coronavírus se tornou, senão o único, um dos maiores motivos de esperança aos habitantes do planeta Terra. Com grande parte das atividades industriais paralisadas e com a redução de atividades e circulação de pessoas, passamos a receber notícias de rios e canais mais limpos do que nunca e de animais circulando livremente por avenidas antes intransitáveis. Ao olhar pela janela, muitos de nós constatamos um céu anormalmente azul e até conseguimos enxergar melhor as estrelas. Exemplos como estes são, é claro, muito positivos. Mas, acima de tudo, são alertas importantes para a humanidade; são como um alarme soando constantemente em nossas cabeças para nos lembrar que a guerra contra mudanças climáticas deve continuar. 

Em plena pandemia, temos um recorde mundial de emissão de CO2 

Um pouco a mais de ar puro e de vida silvestre não foi e tampouco é suficiente para mudanças em um panorama global que se estende por séculos. Em maio, o mundo atingiu seu recorde em medição de dióxido de carbono, mesmo com regras de isolamento social e quarentena valendo em quase todos os países. Foram registradas 417 ppm (partes por milhão) de CO2 emitidas no planeta neste período, segundo dados apresentados pelo governo dos Estados Unidos.

O que aprendemos com isso?

Com o recorde, cada um de nós aprendeu que a queda de emissão do dióxido de carbono registrada como consequência do Covid-19 não é capaz de reduzir, por exemplo, as variações naturais em emissões causadas pela reação do solo e de plantas à temperatura terrestre. E mais: de acordo com a ciência, a cura para o vírus causador da pandemia será encontrada o quanto antes; portanto, a redução de emissão relacionada ao isolamento social e à suspensão de muitas atividades industriais é passageira. Com isso, também aprendemos que uma pequena porcentagem de CO2 não emitida em alguns poucos meses ou dias não significa praticamente nada na análise da situação como um todo. Então, uma vez retomadas as atividades, o uso dos meios de transporte e a circulação de pessoas, possivelmente emissões voltarão a bater recordes. Inclusive, um acontecimento semelhante já foi acompanhado por pesquisadores e estudiosos após a crise do final da década passada.

É como se o mundo precisasse de pelo menos outras 5 quarentenas como a imposta pelos governos de muitos países para que melhoras talvez começassem a ser percebidas.

É tempo de refletir 

Se a queda temporária das taxas de dióxido de carbono em decorrência da pandemia de coronavírus não foi suficiente para impedir que o planeta registrasse o pior nível de emissão de toda a série histórica, é tempo de refletir. Pessoas físicas e empresas devem pensar e repensar ações em prol da natureza; das gerações presentes e futuras; da minimização de mortes e doenças causadas por complicações respiratórias e de um capitalismo mais sustentável. É preciso haver um comprometimento cada vez maior com a economia de baixo carbono; o dinheiro verde; o planejamento de atividades econômicas também sustentáveis; a adoção de práticas ESG, preocupadas com meio-ambiente (environment), sociedade (society) e governança (government).

Oportunidades em meio ao caos

O ato de refletir nos fará levantar questionamentos importantes sobre os vínculos entre as preocupantes taxas de emissão globais de CO2 e os tempos de pandemia. Enfim, dos questionamentos devemos tirar oportunidades. Você pode fazer a sua parte:

  • calculando e avaliando riscos assumidos através de ações não sustentáveis;
  • participando ecologicamente da reconstrução da economia do seu país, estado, cidade ou bairro;
  • considerando mais atentamente ameaças globais antes de trabalhar na criação de um mercado ou na construção dos valores de sua marca, assim como antes de optar pelo consumo de determinada marca;
  • sendo mais resiliente e capaz de pensar nas gerações futuras;
  • apoiando atitudes de grandes investidores e acionistas e estímulos fiscais dados às instituições sustentáveis e adotantes dos princípios ESG;
  • consumindo de forma mais consciente;
  • sendo influência positiva para outras marcas e/ou seres humanos.

A sua empresa tem a chance de começar agora e fazer diferente para mudar essas estatísticas.

Entre em contato com a Sustainable Carbon e vamos pensar juntos em soluções de gestão de carbono para o seu negócio.

 

 

 

Voltar para o blog

Assine a nossa newsletter

Somos pioneiros em Gestão Climática e geração de créditos de carbono com impacto positivo.