Combate à degradação dos oceanos pode mitigar crise climática

Banir a pesca excessiva e a poluição dos oceanos poderia ajudar a combater a emergência climática, melhorando as condições da maior reserva de carbono do mundo, segundo relatório. Os oceanos podem absorver tanto o excesso de calor gerado pelos gases de efeito estufa quanto o próprio dióxido de carbono, ajudando a reduzir os impactos da crise climática. Mas nós estamos rapidamente atingindo os limites da capacidade absorvente dos oceanos, pois nossas alterações na vida marinha estão destruindo ecossistemas vitais e o ciclo natural do carbono.

A criação de santuários e de novos tratados para a proteção dos oceanos, com uma meta de salvaguardar os oceanos em pelo menos 30% até 2030 poderia restaurar muitas áreas para combater o aquecimento global, de acordo com o relatório intitulado “Água quente: a crise climática e a necessidade urgente de proteção aos oceanos” , publicado pelo Greenpeace internacional na quarta-feira.

“A biologia marinha é uma de nossos maiores aliados na luta contra as mudanças climáticas,” disse Louisa Casson, ativista dos oceanos do Greenpeace Reino Unido. “Mas a exploração excessiva e nosso vício em combustíveis fósseis levaram nossos oceanos ao limite. Proteção aos oceanos é uma ação climática – se pudermos salvar nosso oceano, podemos nos salvar.”

 

Fonte: https://www.theguardian.com/environment/2019/dec/04/tackling-ocean Halting overfishing and the plastic pollution of the oceans could help tackle the climate emergency by improving the degraded state of the world’s biggest carbon sink, a report has found. The oceans absorb both the excess heat generated by our greenhouse gas emissions, and absorb carbon dioxide itself, helping to reduce the impacts of climate chaos. But we are rapidly reaching the limits of the oceans’ absorptive capacity as our pillage of marine life is disrupting vital ecosystems and the natural carbon cycle.

Creating ocean sanctuaries and forging a new treaty to protect the oceans, with a target of safeguarding at least 30% of the oceans by 2030, could restore many areas to health and combat global heating, according to the report entitled Hot Water: the climate crisis and the urgent need for ocean protection, published by Greenpeace International on Wednesday.

“The ocean’s biology is one of our best allies in the fight against climate change,” said Louisa Casson, oceans campaigner at Greenpeace UK. “But over-exploitation and our addiction to fossil fuels have pushed our ocean to the brink of collapse. Ocean protection is climate action – if we can save our ocean, it can save us.”

Source: https://www.theguardian.com/environment/2019/dec/03/decade-of-exceptional-heat-likely-to-be-hottest-on-record-experts-say

 

Voltar para o blog

Assine a nossa newsletter

Somos pioneiros em Gestão Climática e geração de créditos de carbono com impacto positivo.